top of page

Lúpus & Tratamentos Naturais

Lúpus eritematoso sistêmico (LES ou lúpus) é uma doença autoimune do tecido conjuntivo. Assim como ocorre em outras doenças autoimunes, o sistema imune ataca as próprias células e tecidos do corpo, resultando em inflamação e dano tecidual.



https://www.criesaude.com”alt=”Lúpus & Tratamentos Naturais e Integrativos /Lúpus manifestação na face Rash malar & Medicina Integrativa
Crédito: Ackerman, Atlas of Dermatology

Sintomas Gerais de Lúpus Sistêmico:

  • Cansaço e a intolerância ao exercício: Acometem na grande maioria das vezes.

  • Dor muscular ou sensação de fraqueza.

  • Perda de peso e/ou apetite.

  • Febre.

A artrite e a dor articular no lúpus apresenta-se com as seguintes características:


É uma poliartrite, simétrica e não costuma causar deformidades graves e nem cursar com rigidez matinal prolongada. A dor é desproporcional à aparência física das articulações e é migratória,


Acometimento Renal:

A grande maioria dos pacientes com lúpus irão desenvolver alguma manifestação nos rins durante o curso de sua doença. O sinal renal mais comum é a proteinúria, isto é, ocorre espumação excessiva da urina, indicando perda de proteínas por esta via.


Outros indícios do acometimento renal pelo lúpus são:


- Hematúria (sangue na urina), que pode ser visível ou não.

- Hipertensão e

- Elevação da creatinina sanguínea, sendo este um sinal de insuficiência renal.


Já a lesão renal mais comum é a glomerulonefrite consequente a deposição de auto-anticorpos no tecido renal.


A Pele no lúpus


É um órgão grandemente acometido. Sendo que na maioria das vezes ocorre algum tipo de manifestação facial, principalmente nas áreas expostas ao sol.


As lesões típicas incluem o rash malar ou eritema em vespertílio, isto é similar a asa de borboleta. Observamos uma área avermelhada que envolve das bochechas ao nariz como pode ser visto na imagem acima.


Áreas claras nas extremidades

O fenômeno de Raynaud é uma alteração na coloração da pele dos membros, geralmente mãos ou pés, causado por constrição dos vasos sanguíneos, resultando em áreas claras.


Sangue:

Auto-anticorpos também podem atacar células sanguíneas. Consequentemente sobrevem a anemia, decorrente da destruição, ou inibição da produção das hemácias, além de outras manifestações.


Síndrome do anticorpo antifosfolipídeo (SAF) é uma condição que ocorre com frequência nos pacientes com lúpus e está associada à formação de múltiplos trombos, tanto nas artérias como nas veias, podendo levar a quadros de AVC, infarto renal, isquemia dos membros, bem como trombose venosa de pernas e embolia pulmonar.


Alterações neuro-psiquiátricas


Lesões neurológicas decorrem de tromboses e vasculites, que podem resultar em AVC, ou derrame.


Alterações psiquiátricas também podem ocorrer. As mais comuns são a psicose, em que o paciente começa a ter pensamentos estranhos e alucinações e assim com a evolução sobrevem a demência, com perda progressiva da memória e da cognição.


Alterações pulmonares


O pulmão e a pleura também são órgãos acometidos no lúpus. Frequentemente observamos: Derrame pleural, pneumonite, doença intersticial pulmonar, hipertensão pulmonar e hemorragia alveolar entre outras manifestações pulmonares mais comuns.


O coração nos pacientes com lúpus é acometido, resultando em:


Doença valvular, na maioria das vezes como regurgitação, ou insuficiência mitral leve.

Endocardite (inflamação das válvulas cardíacas) não infecciosa, conhecida como endocardite de Libman-Sacks.

Pericardite, ou inflamação da fina membrana que envolve o coração.

Inflamação, ou acometimento da artéria coronária.

Miocardite, ou inflamação do músculo cardíaco, que pode resultar na insuficiência cardíaca.


A gama de sintomas presentes depende da predisposições bioquímico-moleculares de cada um.

As bactérias, ou fungos que mais se encontram em exames de pele no lúpus incluíram os seguintes tipos de agentes: - Staphilococos aureus - Streptococos mutans - Candida albicans - Capnocyto phagaochraceavi - Fusobacterium nucleatum vii - Gemell amorbillorum - Criptococos neoformans


Terapia com Suplementos:

Indicada de acordo com os dados clínicos, exames complementares e ainda rechecados através da bio-ressonância, aqui apenas alguns exemplos:

1) B1 Cloridrato de tiamina: 300 mg a 500 mg, 30 minutos antes das refeições e durante a noite;

2) B3 A niacina (ácido nicotínico). Recomendamos 100mg de 3 gramas, trinta minutos antes das refeições e durante a noite;

3) Piridoxina (vitamina B6): A falta desta vitamina demonstrou induzir anemia hipocrômica microcítica e lesões neurológicas;

4) cobalamina (vitamina B12): B12 é reconhecido como um fator na síntese de mielina.

5) Ácido ascórbico (vitamina C); 6) A riboflavina (vitamina B2); 7) A vitamina E; 8) Óleo de Fígado de bacalhau; 9) AMP adenosina-5-monofosfato; 10) Colina: 700 mg a 1400 mg depois de cada refeição e a noite; 11) Lecitina: Damos 1200 mg. Lecitina de feijão de soja após cada refeição. 12) Magnésio: 100mg depois de cada refeição para fornecer iões adicionais para a atividade muscular. É um ativador de enzimas responsáveis pela "queima" da glicose. 13) Betaína; 14) Gluconato de Magnésio, ou Potássio; 15) Pantotenato cálcico


Demais Tratamentos (Técnicas complementares):

Existem inúmeros relatos clínicos e dados científicos de melhora da evolução de Doenças Crônicas da Pele (Lúpus, Psoríase e etc) através da associação da homeopatia e acupuntura, devendo ser usadas somente sob a supervisão, e/ou consulta de um profissional de saúde qualificado. Claro que essas e demais possibilidades devem antes ser checadas através de dados clínicos, anamnese completa, além de exames complementares, podendo incluir o eletro-escaneamento, microscopia e a bio-ressonância, para termos certeza das melhores opções terapêuticas. E também sem nos esquecermos dos fatores predisponentes, ou desencadeantes que levaram a este quadro clínico, o que pode requerer o acompanhamento de demais especialistas. Assim como em qualquer doença crônica vale a pena lembrar a importância de cuidarmos do Sono, da Alimentação, da Atividade Física, dos Fatores pH, do Eixo e mesmo da Sexualidade.


Agendamentos:

Entre em contato conosco nos seguintes telefones: :

  • (11) 3889-0273 ou 95321-1835 ambos ZAP


  • American College of Rheumatology Guidelines for Screening, Treatment, and Management of Lupus Nephritis – American College of Rheumatology.

  • The British Society for Rheumatology guideline for the management of systemic lupus erythematosus in adults – Rheumatology.

  • Clinical manifestations and diagnosis of systemic lupus erythematosus in adults – UpToDate.

  • Systemic Lupus Erythematosus (SLE) – Medscape. Acessados em 18-2-2019 às 9:00hs


Posts recentes

Ver tudo

Aids & Tratamentos Naturais

AIDS : O vírus que pode ser visto ou não em pessoas com HIV, pode também permanecer latente, numa forma hibernante, sem dar as manifestações da mesma AIDS - Existem fatores prevalecentes que explicam

Comments


bottom of page